SORO ANTIELAPÍDICO

FUNDAÇÃO EZEQUIEL DIAS - FUNED

Bula com informações ao Paciente – soro antielapídico (bivalente) soro antielapídico (bivalente) solução injetável

IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO NOME COMERCIAL:

soro antielapídico (bivalente)

DENOMINAÇÃO GENÉRICA DOS PRINCÍPIOS ATIVOS:

imunoglobulina antielapídica (bivalente)

APRESENTAÇÃO

O soro antielapídico (bivalente), heterólogo e hiperimune, é apresentado em ampolas contendo 10 mL de solução injetável da fração F(ab’)2 de imunoglobulinas específicas purificadas, proteínas encontradas no sangue com anticorpos capazes de garantir a proteção contra o veneno, obtidas do plasma do sangue de cavalos hiperimunizados contra uma mistura de venenos de serpentes das espécies Micrurus frontalis e Micrurus corallinus e armazenadas em caixa com 05 unidades.

USO INTRAVENOSO OU SUBCUTÂNEO USO ADULTO E PEDIÁTRICO COMPOSIÇÃO

Cada ampola de 10 mL contém:

Fração F(ab’)2 de imunoglobulinas de origem equina que neutralizam, no mínimo, 15 mg do veneno de referência de Micrurus frontalis (soroneutralização em camundongos) Excipientes . . . . . . . . q.s.p. 10 mL (fenol, cloreto de sódio, água para injetáveis)

INFORMAÇÕES AO PACIENTE 1. PARA QUE ESTE MEDICAMENTO É INDICADO?

O soro antielapídico (bivalente), heterólogo e hiperimune, é indicado para tratamento do envenenamento causado por picada de serpentes das espécies Micrurus frontalis e/ou Micrurus corallinus (corais).

2. COMO ESTE MEDICAMENTO FUNCIONA?

O efeito do soro antielapídico (bivalente), heterólogo e hiperimune, inicia-se imediatamente após a sua administração, neutralizando as toxinas do veneno de serpentes das espécies Micrurus frontalis e/ou Micrurus corallinus encontradas no sangue e depois, possivelmente, nos tecidos.

Quanto antes a administração do soro for feita, maior é o seu potencial de tratamento. Desta forma, o uso do soro deve ser iniciado o mais rápido possível.

3. QUANDO NÃO DEVO USAR ESTE MEDICAMENTO?

O soro antielapídico (bivalente), heterólogo e hiperimune, não deve ser utilizado em acidentes causados por serpentes do gênero Bothrops (jararaca, jararacuçu, urutu, cotiara, caiçara e outras), Crotalus (cascavéis) ou Lachesis (surucucu pico-de-jaca).

Nos pacientes com histórico de alergia ou de sensibilidade a soros de origem de sangue de cavalos, a infusão intravenosa do soro antielapídico (bivalente), heterólogo e hiperimune, deverá ser feita, obrigatoriamente, em condições de assistência médica para observar o aparecimento de reações alérgicas graves e iniciar um tratamento intensivo destas.

BULF-048-REV03_Paciente 1 Bula com informações ao Paciente – soro antielapídico (bivalente) 4.

O QUE DEVO SABER ANTES DE USAR ESTE MEDICAMENTO?

Advertências O uso de antibióticos poderá ser indicado pelo médico na presença de infecções secundárias, bem como na prevenção do tétano.

Precauções Em caso de acidentes, devem ser seguidas as seguintes recomendações:

Não usar garrote ou torniquetes.

Não fazer cortes no local da picada.

Não aplicar querosene, amoníaco ou outras substâncias no local da picada.

Não ingerir líquidos tóxicos ou bebidas alcoólicas.

Manter-se em repouso, evitando caminhar.

Manter-se hidratado.

OBSERVAÇÕES:

 A administração do soro deve ser feita com cuidado em pacientes idosos.

 Caso você tenha feito alguma refeição ou tomado alguma bebida alcoólica, avise o profissional de saúde que estiver avaliando o seu caso, pois para o seu caso será necessário ter cautela.

 Em caso de gravidez e amamentação, o médico deve ser informado sobre esta condição antes de aplicar o soro. Informe imediatamente ao seu médico caso esteja grávida ou amamentando.

O uso do soro antielapídico (bivalente), heterólogo e hiperimune, não é contraindicado nos casos de gravidez e amamentação. Porém, o médico assistente deve ser informado sobre esta condição.

Categoria C de risco na gravidez: não foram realizados estudos em animais e nem em mulheres grávidas.

Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica ou do cirurgião-dentista.

Uso na gravidez: Uso criterioso. Não há informações disponíveis. Avaliar o risco-benefício.

Interações Medicamentosas Informe ao seu médico se estiver usando quaisquer outros medicamentos. O uso de outros medicamentos não compromete o tratamento com o soro. Porém, somente o médico poderá avaliar a existência ou não de interações entre o soro e outros medicamentos.

Informe ao seu médico ou cirurgião-dentista se você está fazendo uso de algum outro medicamento.

Não use medicamento sem o conhecimento do seu médico. Pode ser perigoso para a sua saúde.

5. ONDE, COMO E POR QUANTO TEMPO POSSO GUARDAR ESTE MEDICAMENTO?

O soro antielapídico (bivalente), heterólogo e hiperimune, deve ser conservado sob refrigeração entre 2 ºC e 8 ºC. O soro não deve ser congelado.

O prazo de validade deste soro é de 36 meses a partir da data de fabricação.

Número de lote, datas de fabricação e validade: vide embalagem.

Não use medicamento com prazo de validade vencido. Guarde-o em sua embalagem original.

Após abertura da ampola, o soro deve ser administrado imediatamente.

O soro antielapídico (bivalente), heterólogo e hiperimune, é uma solução límpida, incolor ou ligeiramente amarelada, que não deve apresentar grumos ou partículas. Não deve ser usado se houver turvação (diminuição da transparência) ou presença de material estranho.

Antes de usar, observe o aspecto do medicamento. Caso ele esteja no prazo de validade e você observe alguma mudança no aspecto, consulte o farmacêutico para saber se poderá utilizá-lo.

Todo medicamento deve ser mantido fora do alcance das crianças.

BULF-048-REV03_Paciente 2 Bula com informações ao Paciente – soro antielapídico (bivalente) 6.

COMO DEVO USAR ESTE MEDICAMENTO?

Modo de usar Em caso de picada de serpente, você deverá procurar um hospital que faça a aplicação do soro antielapídico (bivalente), heterólogo e hiperimune, em doses adequadas, o mais rápido possível, sob acompanhamento médico. Sempre que possível, procure identificar a serpente para que seja feita a escolha correta do tipo de soro a ser usado para o tratamento do seu acidente.

O soro antielapídico (bivalente), heterólogo e hiperimune, deve ser aplicado somente com acompanhamento médico. O soro será administrado, em AMBIENTE HOSPITALAR, seguindo as doses indicadas pelo médico, em infusão lenta, pois pode causar reações alérgicas, algumas delas graves.

A via de administração do soro recomendada é a intravenosa (IV) e o soro, diluído ou não em solução fisiológica, deve ser infundido entre 20 e 60 minutos, lentamente. Na impossibilidade de utilizar esta via, o soro pode ser administrado por via subcutânea.

O quanto antes aplicarem o soro em você, mais rápido ele fará o seu efeito terapêutico.

O soro antielapídico (bivalente), heterólogo e hiperimune, pode ser aplicado em você a qualquer momento, mesmo após refeições ou ingestão de bebidas alcoólicas, mas exigirá do médico maior atenção. O cuidado será para evitar o risco de complicações relacionadas a vômitos (aspirações). O uso de outros medicamentos, ao mesmo tempo em que o soro é administrado, não compromete o tratamento.

Classificação quanto à gravidade e dose recomendada Manifestações e Tratamento Classificação* Paralisia do músculo da pálpebra superior Dificuldade visual Fraqueza muscular ao redor dos olhos Grave Visão dupla Salivação intensa Dificuldade e dor para engolir Dificuldade para respirar Soroterapia (quantidade de ampolas) 10 Via de administração Intravenosa *Pelo risco de Insuficiência Respiratória Aguda, os acidentes devem ser considerados graves.

Cuidados após o procedimento Você deverá procurar orientação médica, imediatamente, em caso de qualquer reação adversa, mesmo após o final do tratamento com o soro.

Siga a orientação de seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento.

Não interrompa o tratamento sem o conhecimento do seu médico.

7. O QUE DEVO FAZER QUANDO EU ME ESQUECER DE USAR ESTE MEDICAMENTO?

Este item não se aplica a este medicamento, pois o soro antielapídico (bivalente), heterólogo e hiperimune, deverá ser aplicado somente com acompanhamento médico e será administrado, em AMBIENTE HOSPITALAR, seguindo as doses indicadas pelo médico.

Em caso de dúvidas, procure orientação do farmacêutico ou do seu médico, ou do cirurgião-dentista.

8. QUAIS OS MALES QUE ESTE MEDICAMENTO PODE ME CAUSAR?

O uso de soros heterólogos e hiperimunes pode ser acompanhado de reações alérgicas de graus variáveis.

As mais frequentes são: coceira e vermelhidão na pele, tosse seca/rouquidão, náuseas/vômitos e crise asmática.

Reações graves são poucos frequentes e o choque anafilático (alergia grave) foi descrito em 1 a cada 50.000 pacientes.

Por se tratar de soro heterólogo, obtido pelo processamento do sangue de cavalos, é possível o aparecimento das seguintes reações:

BULF-048-REV03_Paciente 3 Bula com informações ao Paciente – soro antielapídico (bivalente) Reações precoces Ocorrem dentro das primeiras 24 horas após a administração do soro. São de caráter alérgico (anafilático ou anafilactoide), sua frequência é variável, podendo ser grave e necessitar de cuidados médicos. Estas reações ocorrem com maior frequência em pacientes anteriormente tratados com soro da mesma origem.

Prevenção das reações precoces Você deverá informar ao seu médico se já utilizou soros heterólogos e hiperimunes alguma vez em sua vida, mesmo que seja para tratar outros acidentes. Relate para seu médico se você possui problemas alérgicos de naturezas diversas. Caso necessário, o médico poderá avaliar a necessidade de administrar medicamentos antialérgicos e corticoides 15 minutos antes da aplicação do soro.

O teste de sensibilidade tem sido abandonado na rotina do tratamento, pois não tem se mostrado eficiente para detectar a sensibilidade do paciente, podendo desencadear, por si só, reações alérgicas, retardando a soroterapia.

Tratamento das reações precoces Caso suas reações alérgicas sejam graves, seu médico poderá interromper, temporariamente, a soroterapia e iniciar o tratamento destas reações. Seu médico poderá recomendar, de acordo com a gravidade de seu caso, a administração de medicamento injetável ou broncodilatadores.

Os corticoides e anti-histamínicos também poderão ser usados no tratamento das alergias.

Após a diminuição ou ausência destas reações, seu médico poderá reiniciar o tratamento com o soro, conforme a dose recomendada inicialmente.

Reações tardias As reações tardias são, em geral, aquelas que acontecem entre 5 a 24 dias após a administração do soro.

Caracterizam-se por: febre, coceira, dores nas articulações, aumento dos gânglios e, raramente, comprometimento neurológico ou dos rins. Estas reações são também conhecidas pelo nome de “Doença do Soro” e são tratadas, pelo médico, de acordo com a sua intensidade. Você deverá procurar orientação médica, imediatamente, em caso de qualquer reação adversa, mesmo após o final do tratamento com o soro.

Informe ao seu médico, cirurgião-dentista ou farmacêutico o aparecimento de reações indesejáveis pelo uso do medicamento. Informe também à empresa através do serviço de atendimento ao cliente.

Em casos de eventos adversos, notifique ao Sistema de Notificações de Eventos Adversos a Medicamentos - VIGIMED, disponível em http://portal.anvisa.gov.br/vigimed, ou para a Vigilância Sanitária Estadual ou Municipal.

Em casos de eventos adversos, notifique http://www.funed.mg.gov.br/farmacovigilancia.

também à

FUNED

por meio do link:

Em caso de dúvidas sobre o uso correto deste medicamento, comunique à FUNED por meio do link:

http://www.funed.mg.gov.br/fale-conosco.

Informe também à FUNED por meio do seu Serviço de Atendimento ao Cliente (SAC).

9.

O QUE FAZER SE ALGUÉM USAR UMA QUANTIDADE MAIOR DO QUE A INDICADA DESTE MEDICAMENTO?

Não existem informações de casos e/ou consequências da aplicação de doses maiores do que a indicada, do soro antielapídico (bivalente). Caso haja consequências, provavelmente, os efeitos serão aqueles relatados nas reações precoces e tardias (vide 8. Quais os males que este medicamento pode me causar?).

Em caso de uso de grande quantidade deste medicamento, procure rapidamente socorro médico e leve a embalagem ou bula do medicamento, se possível. Ligue para 0800 722 6001, se você precisar de mais orientações.

BULF-048-REV03_Paciente 4 Bula com informações ao Paciente – soro antielapídico (bivalente)

DIZERES LEGAIS

M.S. 1.1209.0120 Farm. Resp.: Michelle Andreza Chaves de Oliveira - CRF/MG nº 16.183 Registrado por:

Fundação Ezequiel Dias – FUNED Rua Conde Pereira Carneiro nº 80 – Gameleira Belo Horizonte - Minas Gerais – CEP 30510-010 CNPJ 17.503.475/0001-01 – Indústria Brasileira

USO RESTRITO A HOSPITAIS.

USO SOB PRESCRIÇÃO MÉDICA.

VENDA PROIBIDA AO COMÉRCIO.

Esta bula foi aprovada pela ANVISA em 26/03/2020.

BULF-0048-REV03_Paciente BULF-048-REV03_Paciente 5 Bula com informações ao Paciente – soro antielapídico (bivalente) Histórico de alteração de texto de bula do medicamento biológico soro antielapídico (bivalente) Nº Expediente 163545/02-0 802269/14-1 1544127/16-0 Assunto Data Notificação Data Aprovação Petição Itens Alterados Versões Apresentações 1529 –

PRODUTO

BIOLÓGICO – Registro do Produto 10456

PRODUTO

BIOLÓGICO - Notificação de Alteração de Texto de Bula – RDC 60/12 10456

PRODUTO

BIOLÓGICO - Notificação de Alteração de Texto de Bula – RDC 60/12

NA

22/08/2005 Texto de bula, segundo RDC 140/2003.

VP/VPS

25/09/2014

NA

Adequação à RDC nº 47/2009.

Adequação do nome do soro à DCB.

Pesquisa bibliográfica de texto.

VP/VPS SOL INJ CX 5 AMP VD INC

X 10 ML

SOL INJ CX 5 AMP VD INC

X 10 ML 12/04/2016

NA VP/VPS SOL INJ CX 5 AMP VD INC

X 10 ML 26/03/2020

NA

Alteração da especificação do produto terminado, segundo farmacopeia brasileira, 2010, 5ª edição.

Reestruturação do texto para melhor entendimento do usuário. Excipientes expressos na forma qualitativa.

IDENTIFICAÇÃO DO

MEDICAMENTO – inclusão da denominação genérica;

O QUE DEVO SABER ANTES DE USAR ESTE MEDICAMENTO? –

categoria de risco na gravidez e amamentação;

QUAIS OS MALES QUE ESTE MEDICAMENTO PODE ME

CAUSAR – inclusão das frases de alerta e fale conosco da FUNED e

ANVISA;

DIZERES LEGAIS – alteração de RT/CRF.

Melhorias na redação;

VP SOL INJ CX 5 AMP VD INC

X 10 ML 10456 –

PRODUTO

BIOLÓGICO – Notificação de Alteração de Texto de Bula – RDC 60/12 . . . . . . . . * * Versão atual notificada em 26/03/2020.